A Boerhringer demite 640 e ainda faz propaganda ilegal

A Boerhringer demite 640 e ainda faz propaganda ilegal 1) No Brasil A atuação da AGU (Advocacia-Geral da União) em defesa dad ações da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) garantiu a manutenção de multa de R$ 100.000 aplicada à empresa multinacional Boerhringer Ingelheim do...

A Boerhringer demite 640 e ainda faz propaganda ilegal

1) No Brasil

A atuação da AGU (Advocacia-Geral da União) em defesa dad ações da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) garantiu a manutenção de multa de R$ 100.000 aplicada à empresa multinacional Boerhringer Ingelheim do Brasil Química e Farmacêutica, por divulgar material publicitário em desacordo com a legislação sanitária.

Os procuradores da AGU explicaram que a Boerhringer divulgou o Pharmaton, um polivitamínico polimineral, a base da planta Panax Ginseng, utilizada para aumentar a resistência natural do organismo ao estresse e infecções, por meio de folhetos e folders, com indicação para ‘mau humor e irritabilidade’, sintomas para os quais o medicamento não seria indicado.

Além disso, segundo informações da ANVISA, a empresa de recomendava o uso do produto em pacientes diabéticos ao afirmar que “Não contém açúcar, pode ser utilizada por diabéticos”. No entanto, o Ginseng seria contraindicado para esses pacientes e, conforme afirma a ANVISA, deve ser utilizado por no máximo três meses, devido ao seu potencial de desenvolvimento de reações adversas, sendo contraindicado na gravidez, lactação e portadores de hipertensão.

2) Lá fora

A Boehringer está fechando 2 unidades nos EUA, o que significa a demissão de 640 pessoas. Uma na cidade de Petersburg, Virginiae a outra em Bedford, Ohio.

A de Petersburg será encerrada em várias fases até o final de 2014. Já a planta de Bedford é uma das mais antigas da multinacional.

Um dado que ligao os dois fatos: nos EUA, a credibilidade da fábrica foi abalada por uma série de recalls.

Coleta, edição, copydesk e tradução de Marko Ajdaric