Falsa médica presa em Salvador faz tratamento psiquiátrico, diz advogado

Mulher se passava por cirurgiã e atendia como clínica geral há um ano

A falsa médica que foi presa na segunda-feira (27) junto com o companheiro emSalvador se passava por cirurgiã há um ano e também atendia como clínica geral, segundo informações da polícia. De acordo com o advogado da suspeita, ela nunca cursou medicina e faz tratamento psiquiátrico.

Em depoimento, a falsa médica disse que deu três plantões no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Candeias e um plantão no hospital particular Ouro Negro, localizado em um outro município da região metropolitana de Salvador.

Ela também disse que fazia procedimentos simples como sutura. “Sutura que é uma coisa simples no hospital. É bem simples e eu domino a prática” contou.

Na capital, a falsa médica informou que atendeu pacientes em duas clínicas, uma no bairro de São Caetano e outra no bairro da Liberdade. Segundo informações da polícia, a suspeita é filha de um ex-deputado baiano que foi assassinado. De 2007 até esse ano, ela também teve a mãe e o marido assassinados.

A polícia chegou até a suspeita depois de uma denúncia feita pela verdadeira médica, em dezembro do ano passado, que tem o nome parecido e trabalha em Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia.

Além disso, a verdadeira médica foi alertada por um farmacêutico que a conhecia e estava recebendo receitas da falsa médica. O farmacêutico estranhou erros na descrição dos medicamentos.

De acordo com a polícia os pacientes atendidos pela falsa médica devem procurara a polícia. “Pessoas que por acaso foram atendidas por ela, compareçam à delegacia que precisam ser ouvidas” solicitou a delegada Marial Dail.

A direção da clínica que a falsa médica atendia disse que não vai se pronunciar sobre o assunto. Já a prefeitura de Candeias, informou que ela trabalhou em dois plantões de caráter de emergência para substituir profissionais no hospital e no Samu. Além disso, ela teria apresentado os documentos necessários para o trabalho, mas ainda assim a prefeitura vai investigar o caso.

Caso
Uma falsa médica de 38 anos foi presa na segunda-feira (27) junto com o companheiro em Salvador, de acordo com informações da polícia. De acordo com o órgão, a mulher era investigada por exercício ilegal da medicina e foi intimada a comparecer à polícia.

Ao chegar à unidade policial, a falsa médica apresentou carteira do Conselho Regional de Medicina do Estado da Bahia (Cremeb) que pertence a uma médica regularizada. De acordo com a polícia, a falsa médica realizou plantões em unidades de saúde em Salvador e Candeias e se passou por especialista em clínica e em cirurgia geral.

O companheiro da falsa médica foi preso por apresentar uma Carteira Nacional de Habilitação (CNH) falsa. Em entrevista ele disse que ajudava a companheira encontrar empregos. “Ela enviava por e-mail o currículo, e o [emprego] do hospital fui eu que consegui através de uma amiga” relatou.

Fonte: www.g1.com