Fenafar publica nota de repúdia à agressão sofrida pela presidente do Sinfargo

Nota de Repúdio à agressão sofrida pela presidente do Sinfargo, Lorena Baía

A Federação Nacional dos Farmacêuticos vem a público manifestar o seu repúdio à atitude do senhor Leonardo Mariano Reis, médico, vice-presidente do Conselho Regional de Medicina de Goiás e representante do Sindicato dos Médicos na Mesa de Negociação Permanente do SUS de Goiás.

Em reunião extraordinária da Mesa de Negociação ocorrida nesta quarta-feira (16), Leonardo Mariano humilhou a farmacêutica Lorena Baía, presidente do Sindicato dos Farmacêuticos de Goiás.

Durante o debate, Lorena fez uma intervenção defendendo a carreira única e a isonomia entre os trabalhadores da saúde, bandeira da Fenafar e de outras categorias na luta pela valorização profissional e, também, de uma concepção de Saúde focada na multidisciplinaridade e na união de competências e habilidades para prestar um serviço de qualidade para a população.

Para se contrapor à posição da farmacêutica, o médico Leonardo Mariano agrediu verbalmente Lorena. Aos gritos, ele tentou intimidar a presidente do Sindicato, mandou que ela calasse a boca, afirmou que ela era uma desqualificada e não deveria ser ouvida pela mesa.

Além da postura machista, a atitude do médico não humilhou apenas a presidente do Sindicato dos Farmacêuticos de Goiás, mas todos os farmacêuticos e farmacêuticas e demais profissionais de saúde.

Ao dizer que Lorena Baía deveria estudar mais para chegar aonde ele (médico) chegou, e que os farmacêuticos são uma categoria de frustrados por não serem médicos ele, desrespeitou toda uma categoria de profissionais indispensáveis para a promoção da saúde.

Leonardo Mariano Reis foi ainda mais longe, ao comparar a reunião de negociação do SUS a uma feira, na qual os médicos eram uma fruta rara, a nectarina, difícil de ser encontrada. Os demais profissionais, incluindo os farmacêuticos, eram as bananas, que davam em penca e se vendiam a qualquer preço em toda esquina.

A postura de Leonardo Mariano desrespeitou todos os profissionais de saúde, inclusive os médicos. Sua atitude é inaceitável, impregnada de preconceito e intolerância, o que não é digna de profissionais que têm como premissa cuidar das pessoas. Reproduz uma visão elitista, conservadora e que é nociva à Saúde e à sociedade.

A Federação Nacional dos Farmacêuticos exige que todos os profissionais de saúde sejam tratados com respeito e dignidade.

A Fenafar luta pela valorização do profissional farmacêutico e, em particular, pela valorização do trabalho das mulheres, que são maioria em nossa categoria, e devem ser respeitadas e tratadas com equidade.

Por isso, nesta oportunidade, a Federação Nacional dos Farmacêuticos manifesta o seu mais veementemente repudio à atitude do médico Leonardo Mariano Reis e se solidariza com a farmacêutica Lorena Baía.

Brasil, 16/04/2014

Federação Nacional dos Farmacêuticos.

Fonte: http://www.fenafar.org.br