Fenafar

A Federação Nacional dos Farmacêuticos – Fenafar está completando 36 anos. Fundada em 25 de outubro de 1974, possui hoje 17 sindicatos filiados. Somos uma entidade representativa da categoria farmacêutica a nível nacional. Nesses 36 anos, a Fenafar construiu uma história de lutas, buscando sempre...

A Federação Nacional dos Farmacêuticos – Fenafar está completando 36 anos. Fundada em 25 de outubro de 1974, possui hoje 17 sindicatos filiados. Somos uma entidade representativa da categoria farmacêutica a nível nacional. Nesses 36 anos, a Fenafar construiu uma história de lutas, buscando sempre o respeito à categoria e o resgate do importante papel social do farmacêutico na atenção à saúde.

No nosso aniversário, parabenizamos todos e todas os profissionais que são os que no dia-a-dia contribuiem para fortalecer a nossa categoria. Lembramos, a seguir, algumas das lutas que marcaram a nossa história:

1991 – Contra a lei de patentes. Luta esta que mobilizou a sociedade dentro e fora do Congresso Nacional.

1993 – Inicia-se o movimento contra o Projeto Marluce Pinto, projeto este que desobrigaria a presença dos farmacêuticos nas farmácias e drogarias. Essa luta mobilizou estudantes e profissionais, chegando a reunir em Brasília, em 1997, numa manifestação nunca vista no movimento farmacêutico, cerca de 3 mil pessoas em passeata pela Esplanada dos Ministérios. A Fenafar participou ativamente, juntamente com os sindicatos de farmacêuticos, Enefar e alguns CRF;s, acompanhando comissão por comissão a tramitação desse malfadado projeto.

Em 1994, mais uma batalha, desta vez contra o artigo da Medida Provisória do Plano Real, que liberava a venda de medicamentos em supermercados.

A partir de 1995 a Fenafar lança a Campanha Nacional Pelo Uso Correto de Medicamentos, a qual se torna referência para a população em geral. Esta campanha contou com o apoio de várias entidades nacionais e de muitos parlamentares.

Em 1996 a Fenafar, juntamente com a Enefar fazem frente à manifestações em Brasília e apresentam ao Ministério da Educação a “Proposta de Reformulação do Ensino de Farmácia no Brasil”.A proposta apresentada foi fruto de 10 anos de discussões em seminários e encontros com os diversos segmentos que compõe a categoria.

Em 1998, mais uma grande batalha contra a falsificação dos medicamentos, onde chegamos a participar de uma Sessão Especial da Câmara dos Deputados alertando e solicitando ações, condundentes, das autoridades responsáveis, no sentido de punir os falsificadores.

Em 1999, em comemoração aos 25 anos, realizamos o projeto Fenafar Presente, onde percorremos 10 estados e dezenas de municípios. Estivemos em contato com milhares de farmacêuticos e estudantes, através de reuniões, palestras, debates e entrevistas sobre os principais problemas que a categoria enfrenta no dia-a-dia do exercício da profissão. Todos os espaços concedidos e organizados pelos Sindicatos nos Estados serviram para mostrar a nossa cara e dizer que os farmacêuticos são fundamentais para a saúde da população e que precisam ter melhores condições de trabalho e de salário.

A partir de 2001 a Fenafar se empenhou no processo de convocação e organização da 1a Conferência Nacional de Medicamentos e Assistência Farmacêutica. Este processo foi deflagrado formalmente a partir da Resolução aprovada pelo Conselho Nacional de Saúde (CNS) em 09 de novembro de 2000.

A Conferência ocorreu em setembro de 2003, com o tema: “Acesso, Qualidade e Humanização com Controle Social.

Podemos ainda destacar em 2003 a participação na 12ª Conferência na Nacional de Saúde, onde a Fenafar participou da Comissão Organizadora e também com 6 delegados representando os trabalhadores da saúde.

Em Junho de 2008, a Fenafar organizou uma grande manifestação em Brasília para pressionar a Câmara dos Deputados a colocar em plenário para votação o PL 4385/94 que dispõe sobre a Farmácia Estabelecimento de Saúde. No mesmo dia, foi lançada a Frente Parlamentar em Defesa da Assistência Farmacêutica. Em razão dessa moblização, depois de mais de 10 anos aguardando para entrar na Pauta, o projeto foi colocado na pauta do plenário em 20 de novembro de 2008. Recebeu duas emendas apresentadas pelo deputado Ricardo Barros que contrariavam a versão original do substitutivo. A Fenafar iniciou, então, o contato com as Comissões para que as emendas fossem rejeitadas, ação que foi vitoriosa, porque as emendas foram rejeitadas em todas as comissões.

Fonte: Site Fenafar
Acesse: http://www.fenafar.org.br/portal/